Tag Archives: Paris

Juju Coelho em Paris vestindo vestido azul Royal longo da nega clothing, pulseira, boina e brinco Le Briju.

LOOK OF THE DAY: ROYAL PARISIAN BLUE DRESS

Good morning,

today I wanted to show how I gave a cool and Parisian look to my more social dress wearing a black beret and more cool earring. To better harmonize the look, I also opted for a black sandal to match the beret.

Juju Coelho em Paris vestindo vestido azul Royal longo da nega clothing, pulseira, boina e brinco Le Briju.
Juju Coelho em Paris vestindo vestido azul Royal longo da nega clothing, pulseira, boina e brinco Le Briju.
Juju Coelho em Paris vestindo vestido azul Royal longo da nega clothing, pulseira, boina e brinco Le Briju.
Juju Coelho in Paris wearing a long Royal blue dress from nega clothing, bracelet, beret and Le Briju earring.
Juju Coelho in Paris wearing a long Royal blue dress from nega clothing, bracelet, beret and Le Briju earring.
Juju Coelho in Paris wearing a long Royal blue dress from nega clothing, bracelet, beret and Le Briju earring.
Juju Coelho in Paris wearing a long Royal blue dress from nega clothing, bracelet, beret and Le Briju earring.

Royal Blue Dress: Nega Clothing
Earring, Bracelet and Hat: Le Briju
Sandal: Schutz
Photography: l’amour de Paris

What did you think?
Did you like it?

Jantar na Union Interalliée de Paris



Ola Ola, Hoje queria compartilha com vocês a incrível experiência de ter sido convidada para um jantar super especial na antiga casa de Henry Rothschild que hoje abriga o clube da união Interalieé.

A Union Interalliée foi fundada em 1917, na época da entrada oficial dos americanos na Primeira Guerra Mundial. Isso ocorreu depois que os aviadores voluntários da Lafayette Escadrille vieram para a França para aumentar o número daqueles que lutavam pela mesma causa contra os franceses. solo.

Juju Coelho veste bota e conjunto Dolce & Gabbana durante jantar na mansão Rothschild

Os fundadores da Union Interalliée (o Conde de Beaumont, Paul Dupuy, o Conde J. de Bryas, Arthur Meyer, MJ de Sillac) sugeriram estabelecer um local de boas-vindas fornecendo recursos morais e materiais aos oficiais e personalidades das nações Aliadas, a fim de desenvolver a vida aliada que havia apenas começado.

Juju Coelho veste bota e conjunto Dolce & Gabbana durante jantar na mansão Rothschild

Graças ao apoio que receberam de vários estadistas, embaixadores e marechais de campo e à ajuda de novos colaboradores (Conde de Andigne, Bardac, du Breuil Saint-Germain, André Citroën, L. Dumontet, o Conde de Fels, que criou, junto com o primeiro, o comitê diretor, presidido pelo vice-almirante Fournier), eles fundaram a Union Interalliée em uma das mais belas mansões de Paris, o hotel Henri de Rothschild, que havia sido generosamente oferecido a eles. Em 1920, o clube, tendo constituído uma sociedade imobiliária, adquiriu o edifício pelo equivalente aos actuais 1.067.143 euros.

Terminada a guerra, a necessidade da Union Interalliée era evidente para todos, pois era mais necessária do que nunca manter a harmonia entre as pessoas que lutaram juntas. A obra iniciada em 1917 foi oficialmente consagrada em 1920, quando o poder público reconheceu sua importância nas relações diplomáticas entre as nações aliadas. Em 1 ° de junho de 1920, o marechal Foch se tornou o segundo presidente do Cercle.

Juju Coelho veste bota e conjunto Dolce & Gabbana durante jantar na mansão Rothschild

Em 2004, o designer de interiores americano chileno Juan Pablo Molyneux projetou os interiores da sede do clube.

Recomendo a todos que possuam a oportunidade de conhecer este clube a ir lá durante a sua passagem pela cidade de Paris. O local é maravilhoso, super bem frequentado e a comida deliciosa.

Dinner at the Union Interalliée in Paris

Hello Hello, Today I would like to share with you the incredible experience of being invited to a super special dinner at Henry Rothschild’s former home that now houses the Interalieé union club.

The Union Interalliée was founded in 1917, at the time of the official entry of the Americans into World War I. This came after volunteer aviators from the Lafayette Escadrille came to France to increase the number of those fighting for the same cause against the French. ground.

Juju Coelho wears a boot and Dolce & Gabbana outfit during dinner at the Rothschild mansion

The founders of the Union Interalliée (Count de Beaumont, Paul Dupuy, Count J. de Bryas, Arthur Meyer, MJ de Sillac) suggested establishing a welcoming place providing moral and material resources to officials and personalities of Allied nations, the order to develop the allied life that had just begun.

Juju Coelho wears a boot and Dolce & Gabbana outfit during dinner at the Rothschild mansion

Thanks to the support they received from various statesmen, ambassadors and field marshals and the help of new collaborators (Count de Andigne, Bardac, du Breuil Saint-Germain, André Citroën, L. Dumontet, the Count de Fels, who he created, together with the first, the steering committee, chaired by Vice Admiral Fournier), they founded the Union Interalliée in one of the most beautiful mansions in Paris, the Henri de Rothschild hotel, which had been generously given to them. In 1920, the club, having formed a real estate company, acquired the building for the equivalent of the current 1,067,143 euros.

With the war over, the need for the Union Interalliée was evident to all, as it was more necessary than ever to maintain harmony between the people who fought together. The work started in 1917 was officially consecrated in 1920, when the public authorities recognized its importance in diplomatic relations between the allied nations. On June 1, 1920, Marshal Foch became the second president of the Cercle.

Juju Coelho wears a boot and Dolce & Gabbana outfit during dinner at the Rothschild mansion

In 2004, Chilean American interior designer Juan Pablo Molyneux designed the interiors for the club’s headquarters.

I recommend everyone who has the opportunity to discover this club to go there during their visit to the city of Paris. The place is wonderful, very well attended and the food is delicious.

Conheça o Restaurante Kong em Paris pelo Arquiteto Philippe Starck

O Restaurante Kong em Paris Pelo Arquiteto Philippe Starck

O KONG fica no 5° andar de um prédio de arquitetura haussmaniana e tem vista para a famosa ponte ‘Pont Neuf’ e, em especial, para os tradicionais e tão fotografados telhados de Paris.

O restaurante é um daqueles lugares que só pela vista já valem a pena. O KONG é uma mistura de bar-restaurante-lounge, com uma vibe jovial e um espaço ultramoderno decorado por Phillippe Starck.

Os pratos servidos ali são próprios da gastronomia pan-asiática, uma mistura de técnicas e ingredientes parisienses e japoneses, Só de dar água na boca só de ler o nome no cardápio.

Interior do restaurante Kong, em Paris.
Menu do restaurante Kong, em Paris.
Prato servido no restaurante Kong, em Paris.
Mesa do restaurante Kong, em Paris.
Interior do restaurante Kong, em Paris.

Quando se trata do Lounge-bar, o local também arrasa. Os drinks servidos vão de coquetéis clássicos a inovadores, muito bons e com apresentação estonteante.

Bebida servida no restaurante Kong, em Paris.
Interior do restaurante Kong, em Paris.
Bebida servida no restaurante Kong, em Paris.
Interior do restaurante Kong, em Paris.

O KONG está localizado na 1 rue du Pont neuf, 75001 Paris. É um lugar indispensável no seu roteiro de viagem para a capital mais romântica do mundo.

Gostou da dica? Comente aqui e se já visitou o restaurante também, deixe sua avaliação.

E não deixe de compartilhar nas redes sociais para concorrer a uma viagem para as Maldivas.

Hotel Raphael, em Paris.

Conheça o Hotel Raphael, em Paris

Quem está me acompanhando nas redes sociais e aqui no blog, sabe que estou viajando. Mais especificamente, estou em Paris. Por aqui estou hospedada num hotel maravilhoso que, sem dúvidas, é um dos melhores em que já fiquei: o Raphael.

O Hotel Raphael está muito bem localizado entre a Torre Eiffel e o Arco do Triunfo, os pontos turísticos mais visitados da cidade, e da estação de metrô que te leva para o Grand Palais e ao Musée du Louvre. Isso possibilita que o transito para as visitas nos locais seja feito a pé mesmo.

Hotel Raphael, em Paris.
Hotel Raphael, em Paris. Clique na imagem para fazer sua reserva pelo booking.com

Eu gosto de sempre me hospedar perto dos pontos turísticos, mesmo os grandes centros sendo um pouco barulhentos até na hora de dormir, justamente por essa facilidade. Não ter que alugar carro ou pegar um táxi para visitar os locais que quero ir é uma “mão na roda” e, no caso de Paris, super indico o Raphael.

O Hotel 5 estrelas oferece acomodações de tirar o fôlego. Luxuosas e muito confortáveis. Além disso a arquitetura e decoração do Raphael, incluindo a dos quartos, é linda. A área interna é decorada em estilo Louis XV e XVI, com movéis rusticos de madeira e tapeçarias que enriquecem o local com seus detalhes, lembrando as épocas passadas com elegância.

Área interna do hotel Raphael.
Área interna do hotel Raphael. Clique na imagem para fazer sua reserva pelo booking.com
Acomodação do Hotel Raphael.
Acomodação do Hotel Raphael. Clique na imagem para fazer sua reserva com o booking.com

Quando se trata dos serviços oferecidos pelo hotel, o Raphael não deixa a desejar. A propriedade dispõe de um restaurante e bar que serve pratos gourmet da gastronomia francesa, uma academia e sauna. Além disso, se tem acesso livre a piscina coberta e ao Spa do Majestic Hotel.

Sem falar do terraço com vista panorâmica da cidade, onde está localizado o restaurante Raphael. Os pratos servidos ali são maravilhosos e muito fiéis as técnicas e ingredientes franceses. Comer ali observando a linda Paris, principalmente a noite, é uma das melhores partes da viagem. A cidade é linda e ter essa vista durante uma refeição no Raphael é incrível.

English Bar, parte do Restaurante Raphael.
English Bar, parte do Restaurante Raphael.
Terraço do Hotel Raphael, com vista do Arco do Triunfo.
Terraço do Hotel Raphael, com vista do Arco do Triunfo. Clique na imagem para fazer sua reserva pelo booking.com

E finalizando, essa é a parte que mais amei. Aqui no Raphael os hospedes estão muito próximos das marcas mais cobiçadas do mundo como
Cartier e Louis Vuitton, e, consequentemente, o momento “vamos as compras” é muito mais prático.

Espero que tenham gostado das dicas e que não deixem de conhecer este hotel.

[show_shopthepost_widget id=”3584106″]

Não esqueça de compartilhar para concorrer a uma viagem para as Maldivas.

Palácio de Versalhes.

Conheça a cidade de Versalhes, na França

A maioria das pessoas liga diretamente Versalhes ao tratado que pôs fim na primeira guerra, ou até mesmo a revolução francesa que ocorreu no local. Mas você conhece, realmente, Versalhes e sua história? Hoje vim aqui contar um pouco sobre essa grande cidade que visitei durante minha ultima viagem a França.

Versalhes, ou Versailles como muitos conhecem, é uma cidade totalmente artificial desenvolvida a mando do rei Luís XIV em 1664, para que ali pudesse ser a sede do poder político da França, e assim aconteceu durante os anos 1682 e 1789, logo após a cidade foi o berço da revolução francesa que mudou toda a história do país.

É por conta de toda essa trajetória política e arquitetura antiga que hoje a cidade é muito visitada por turistas de todos os lugares do mundo. As propriedades ali construídas como o Palácio onde habitava a corte, o Trianon e o Domaine de Marie Antoinette, se tornaram pontos de visitação para os amantes de história e lugares bonitos.

É bom já saber que, se pretende conhecer Versalhes, não é possível fazer um passeio com calma para apreciar tudo o que se tem direito na cidade em menos de um dia inteiro, então reserve 24H para ter essa experiência.

Salão dos espelhos no Palácio de Versalhes.
Salão dos espelhos no Palácio de Versalhes. Foto: Google
Clique na imagem para comprar seu ticket pelo Get Your Guide.

O Palácio que possuí 700 quartos, 67 escadas, 2.153 janelas, 352 chaminés, 1.250 lareiras e ocupa uma área de 700 hectares, está localizado a três quarteirões da Estação Ferroviária de Versailles, que, aliás, é uma das formas de chegar a cidade. Hoje o local funciona como museu e é aberto para visitação de terça a domingo das 9H às 17H.

Lá você tem acesso a Capela Real, aos apartamentos imensos dos reis, a famosa Galeria dos Espelhos, entre outras áreas exploráveis do castelo.

O Grand Trianon, assim como o castelo, também tem seu horário de funcionamento restrito das 9H às 17H de terça a domingo. Ele é mais um castelo construído por Luis, mas esse tem sua arquitetura revestida em mármore rosa e, diferente dos outros ponto que foram feitos no estilo barroco, este tem influência da arquitetura italiana.

Grand Trianon Versalhes.
Grand Trianon Versalhes. Foto: Google
Clique na imagem para comprar seu ticket pelo Get Your Guide.

Uma curiosidade sobre o Trianon é que ele foi palco do segundo casamento de Napoleão Bonaparte.

E o terceiro lugar indispensável na sua visita a Versalhes é o Domaine de Marie Antoinette, um mini castelo, podemos dizer, que foi construído para a rainha se isolar durante um tempo, evitando o agito. O Domaine é composto pelo Petit Trianon, os jardins da rainha e o Hameau, que é uma espécie de mini fazenda particular.

Hameau de la Reine, em Versalhes.
Hameau de la Reine, em Versalhes. Foto: Google
Clique na imagem para comprar seu ticket pelo Get Your Guide.

Além destes locais, que são os mais ansiados nas visitas, você também deve passear pelos jardins de Versalhes projetados por André Le Nôtre, o maior paisagista do barroco francês. Os jardins não tem restrição de dia nem hora, você pode passear por eles livremente.

Jardim do Palácio de Versalhes.
Jardim do Palácio de Versalhes. Foto: Google

Como Versalhes é veemente grande, torna-se cansativo fazer esse passeio a pé, aliás, deve ser quase que impossível (rs). Então indico que aluguem um carro elétrico ao chegar, eles custam cerca de trinta e dois euros por hora e você pode circular livremente, porém exige carteira de habilitação. Se prefere evitar esse estresse, existem diversas empresas de turismo que oferecem passeios completos.

Gostou de conhecer mais sobre Versalhes? Deixe aqui nos comentários o que mais tem vontade de conhecer e, se já conheceu, qual o seu lugar favorito. E se estiver planejando sua próxima viagem a França, conte com a gente para montar um roteiro completo e personalizado para você. Basta clicar aqui.

https://widget.getyourguide.com/v2/widget.js

Não deixe de compartilhar este post e me seguir nas redes sociais para concorrer a uma viagem para as Maldivas.

The Hoxton Paris.

Conheça o The Hoxton hotel, em Paris

Localizado a poucos passos do Louvre e em um dos prédios mais antigos de Paris, está um minimalista hotel que trás luxo e história por detrás das suas portas: o The Hoxton Hotel Paris.

Tive o privilégio de conhecer este local e vim aqui hoje compartilhar um pouco as minhas impressões sobre o hotel. Começando pela localização que, como citado acima, é ótima. O Hoxton fica muito próximo ao museu do Louvre, do Jardin des Tuileries e das belíssimas ruas de Le Marais. Todo o tour por essa região de Paris pode ser feita a pé e, na minha opinião, essa é uma das maiores vantagens de estar hospedado no Hoxton, assim você não precisa se preocupar com táxi ou metrô para chegar aos locais.

Além disso as ruas que rodeiam o hotel são bem movimentadas e badaladas, durante a noite. De dia você pode frequentar as boutiques locais, restaurantes e mercados parisienses e, a noite, as ruas se tornam o palco da badalação francesa nos bistrôs.

Restaurante do The Hoxton Paris. Clique na imagem para fazer sua reserva pelo booking
Restaurante do The Hoxton Paris. Clique na imagem para fazer sua reserva pelo booking.com
Átrio do The Hoxton Paris. Clique na imagem para fazer sua reserva pelo booking
Átrio do The Hoxton Paris. Clique na imagem para fazer sua reserva pelo booking.com

Falando em badalação, o Hoxton possui três áreas onde se pode comer e beber bons drinks: o átrio do hotel, onde você pode cruzar com locais sentados tomando um café ou drink, o restaurante Rivié, que serve pratos tradicionais franceses e o Jacque’s Bar, uma área mais íntima do hotel. O mais legal é que o próprio hotel garante a curtição, já que de noite torna-se um point bacana para beber ao som de músicas tocadas por Djs convidados.

Todas as 172 acomodações, de quatro tamanhos diferentes, do Hoxton são compostas de decorações luxuosas e mimos essenciais para uma boa estadia, como cafés da manhã deixados todos os dias no quarto. A arquitetura e decoração, tanto geral quanto dos quartos, do hotel remetem ao estilo clássico, mas com as reformas ganhou um toque contemporâneo. O prédio foi construído no século XVIII e, por isso, foi mantida a arquitetura original e isso é usado para atrair hospedes que buscam um encanto a mais.

Suíte do The Hoxton Paris. Clique na imagem para fazer sua reserva pelo booking
Suíte do The Hoxton Paris. Clique na imagem para fazer sua reserva pelo booking.com
Café da manhã entregue nos quartos. Clique na imagem para fazer sua reserva pelo booking
Café da manhã entregue nos quartos. Clique na imagem para fazer sua reserva pelo booking.com

Por ser um hotel pequeno, não oferece tantos serviços mas garanto que vale a estadia lá durante o tempo que quiser explorar mais este lado da cidade.

Deixe nos comentários sua opinião sobre o The Hoxton, se já esteve no hotel. E se ainda tem alguma dúvida de como planejar a sua viagem, pode respirar fundo e clicar aqui que nós te ajudaremos montando um roteiro personalizado para você!

[show_shopthepost_widget id=”3596338″]

Não se esqueça de compartilhar o post e me seguir nas redes sociais para concorrer a uma viagem para as Maldivas.

L'Atelier de Joel Rebuchon, em Paris.

Conheça o L’Atelier de Joel Rebuchon, em Paris

Localizado no Hôtel du Pont Royal, na capital francesa, a apenas alguns minutos do Louvre e outros museus da cidade está o premiado restaurante conceito do Chef Joel rebuchon, o único a alcançar 28 estrelas no Guia Michelin: o L’Atelier de Joel Rebuchon.

O L’Atelier é, sem sombras de dúvidas, meu restaurante favorito em Londres e durante a semana passada, ainda na minha visita a Paris, tive a oportunidade de conhecer a unidade do restaurante presente na cidade.

Minha recepção no L’Atelier de Joel Rebuchon foi calorosa, os funcionários são muito simpáticos e atenciosos, diferente do que falam dos franceses, um serviço 100% impecável.

Balcão e cozinha do restaurante L'Atelier de Joel Robuchon. Foto: Google
Balcão e cozinha do restaurante L’Atelier de Joel Robuchon. Foto: Google
Salão do restaurante L'Atelier de Joel Robuchon. Foto: Google
Salão do restaurante L’Atelier de Joel Robuchon. Foto: Google

O Restaurante foi projetado em conceito aberto, para que os clientes pudessem se sentir a vontade em ver o manuseio e a preparação dos pratos. Assim a cozinha é cercada por um balcão onde os clientes podem se sentar e apreciar a carta de vinhos enquanto aguardam por sua refeição, ou se preferirem, recentemente o espaço ganhou um salão onde pode-se fazer uma reserva e comer em uma mesa.

Joel Robuchon e Axel Manes. Foto: Google.
Joel Robuchon e Axel Manes. Foto: Google

A cozinha dirigida pelo chef francês Axel Manes e cardápio assinado pelo idolatrado Joel Rebuchon, oferece pratos requintados da culinária francesa, assim como as outras unidades do restaurante, com ingredientes atualizados ao longo do ano, de acordo com a época.

Minha escolha foi provar o menu degustação, com 13 pratos desde ente e não tive arrependimentos. Os pratos tem uma bela apresentação e ótimos sabores, uma valorização extrema das técnicas tradicionais com um toque moderno.

Prato servido no restaurante L'Atelier de Joel Robuchon, em Paris.
Prato servido no restaurante L’Atelier de Joel Robuchon, em Paris. Foto: Google

Já os pratos preto e vermelho, quando unidos a disposição da comida a faz virar até mesmo parte da decoração requintada e luxuosa do restaurante, que com baixa iluminação torna o local bastante intimísta.

Como já disse, não me arrependo nem um pouco dessa experiência e se o L’Atelier de Londres já era o meu restaurante favorito, agora ele concorre consigo mesmo em Paris. Eu os recomendo a visita e apreciação do local, com certeza.

Já esteve no L’Atelier Joel Rebuchon em Paris? Conta pra gente nos comentários como foi sua experiência!

E não deixe de compartilhar este post para concorrer a uma viagem para as Maldivas.

Juju Coelho na Fundation Louis Vuitton, em Paris.

Conheça a Fundação Louis Vuitton, em Paris

Nesta sexta – feira (17) tive a oportunidade de conhecer a Fundation Louis Vuitton, num dos bairros nobres de Paris e, hoje, vim aqui contar tudo sobre o local para vocês!

Localizada em um jardim d’água projetado somente para receber a estrutura, o Jardin d’Acclimatation, a Fundação Louis Vuitton, ou Fundation Louis Vuitton, é uma das arquiteturas modernas que mais me encantou durante todo o tempo em que viajo.

A Fundação Louis Vuitton foi projetada pelo famoso arquiteto Frank Gehry em 2014 e, hoje, abriga importantes exposições em Paris, além de poder ser usada também para convenções e eventos, por ter um salão para atividades diversas.

Frank Gehry quis inspirar-se nas velas de um barco para construir o edifício, por isso é cercado de água e tem estruturas de madeira (velas) que seguram as placas e blocos de vidro da FLV.

O vidros foram colocados de forma que quem olha se lembra de icebergs entrelaçados e, se notar, durante o dia de acordo com a posição da luz eles refletem a água, o céu e o jardim. Uma explêndida visão!

Area exrterna da Fundation Louis Vuitton, em Paris.
Area exrterna da Fundation Louis Vuitton, em Paris.
Estrutura de vidro da Fundation Louis Vuitton, em Paris.
Estrutura de vidro da Fundation Louis Vuitton, em Paris.

A FLV possui um hall de entrada onde você dá de cara com um restaurante e uma livraria muito aconchegantes, além de ali também estar localizado o salão de eventos citado a cima.

Subindo os andares vaguei de galeria em galeria, onde são expostas obras de arte importantíssimas. Também é possível subir pelas escadas externas, que te levam ao terraço, ou telhado-jardim, da Fundação. Dali a vista é incrível, não dá para deixar de lado essa subida.

Obra da exposição na Fundation Louis Vuitton, em Paris.
Obra da exposição na Fundation Louis Vuitton, em Paris.
Obra da exposição na Fundation Louis Vuitton, em Paris.
Obra da exposição na Fundation Louis Vuitton, em Paris.
Juju Coelho na Fundation Louis Vuitton, em Paris.
Juju Coelho na Fundation Louis Vuitton, em Paris.

Por mais que seja pouco conhecida ainda, por ser uma arquitetura moderna e nova, vale muito a pena a visita a Fundação Louis Vuitton. É um local com poucos turístas e uma preciosidade em um dos bairros nobres, e afastados, de Paris.

Gostou? Deixe seu comentário!

E não deixe de compartilhar para concorrer a uma viagem para as Maldivas.

Picture taken during a press visit of the immersive exhibition "Klimt Hundertwasser Poetic_Ai" devoted to Austrian painters Gustav Klimt and Friedensreich Hundertwasser, on April 10, 2018, two days ahead of the opening of l'Atelier des Lumieres, the first Digital Art Centre in Paris. Using 120 video projectors and a spatialised sound system, the multimedia equipment cover a total surface area of 3,300 m2, extending from the floors to the ceilings and over walls up to tenmetres high. / AFP PHOTO / FRANCOIS GUILLOT / RESTRICTED TO EDITORIAL USE - MANDATORY MENTION OF THE ARTIST UPON PUBLICATION - TO ILLUSTRATE THE EVENT AS SPECIFIED IN THE CAPTION

Conheça o L’Atelier de Lumières

Atelier des Lumières é o centro de arte digital em Paris que apresentou uma exposição imersiva das obras do artista Gustav Klimt.

Com o desenvolvimento da tecnologia de mapeamento de superfícies, os espetáculos de luz e imagens projetados nas fachadas de prédios e monumentos se tornaram cada vez mais frequentes e sofisticados. Por toda a França temos exemplos desses eventos: o Rêve des Couleurs na catedral de Reims, La Nuit aux Invalides e o réveillon no Arco do Triunfo em Paris e, o mais estonteante de todos (apesar de não acontecer nas fachadas e sim no interior de antigas minas de calcário), as Carrières de Lumières, em Baux de Provence.

Na exposição imersiva Carrières de Lumières, imagens de quadros de pintores famosos foram projetadas nas paredes, pisos e tetos das antigas pedreiras (carrières) de calcário da região. Tudo acompanhado de trilha sonora especialmente selecionada para harmonizar com as imagens.

Em 2018 os espetáculos tiveram como tema Picasso e os mestres espanhóis.

L’Atelier de Lumières.

Atelier des Lumières

Inaugurado no dia 13 de abril de 2018, o Atelier des Lumières é o único centro de arte digital em Paris. Localizado em um prédio de 2.000 m² onde funcionava uma antiga fundição, criada em 1835, o local abrigará grandiosas exposições imersivas.

São 2 salas totalizam 3.300 m² de área de projeção, incluindo paredes e piso. Acompanhando as projeções, há sempre trilha sonora criada especialmente para cada evento.

A 1ª sala, Halles, é consagrada ao trabalho dos grandes nomes da história da arte. A 2ª apresenta o trabalho de novos artistas.

L’Atelier de Lumières.

O primeiro grande artista homenageado pelo Atelier des Lumières foi Gustav Klimt.

Na verdade, a exposição foi sobre a cena de arte vienense no fim do século XIX, da qual Klimt foi a principal figura. Além de seus trabalhos, sendo o mais famoso dele ‘O beijo’, foram também projetadas obras de  Egon Schiele e Friedensreich Hundertwasser.

Tudo acompanhado de trilha sonora com peças de Wagner, Beethoven, Chopin e Rachmaninov. Um deleite para todos os sentidos!

L’Atelier de Lumières.

O Atelier des Lumières é mais uma das paradas obrigatórias durante sua visita a Paris e fica na 38 rue Saint Maur, 75011. Estação Saint Maur, linha 3.

E você, já foi no Atelier? Deixe seu comentário!

https://widget.getyourguide.com/v2/widget.js

E não esqueça de compartilhar o post para concorrer a uma viagem para as Maldivas.