Patagônia Argentina: 7 Dicas para a sua viagem

Juju Coelho fazendo Kayak no glacier Perito Moreno na Patagônia Argentina.


A Patagônia argentina é um dos lugares mais lindos da América do Sul.

Suas montanhas, às vezes congeladas e em outros momentos coloridas, formam paisagens que deixa o mais exigente dos viajantes de queixo caído. 

Lagos, geleiras e até mesmo animais selvagens, ajudam a compor cenários que fazem por merecer um espaço na nossa estante com porta-retratos de viagem.

Presenciar tamanha beleza é uma recompensa que faz jus a distância que temos que percorrer, ao frio que podemos sentir, e claro, ao investimento $$$ necessário. Afinal, a Patagônia não é nem de perto um dos destinos mais baratos para viajar na América Latina.

Mas vale a pena. E como vale.

– já sabia assim que regressei ao Brasil, que muito em breve vou voltar para os destinos do fim do mundo.

Enquanto este dia não chega, faço questão de compartilhar com vocês algumas dicas que considero indispensáveis para organizar uma viagem pela Patagônia argentina.

#Dicas de viagem à Patagônia Argentina

1- O que esperar de uma viagem pela Patagônia Argentina
2- Quando ir
3- Principais cidades na Patagônia Argentina
4- Roteiro clássico pela Patagônia Argentina
5- Como se locomover
6- Câmbio
7- Principais gastos

1- O que esperar de uma viagem pela Patagônia Argentina

A Patagônia, tanto a argentina quanto a chilena, é uma região para quem curte estar diante de paisagens naturais de tirar o fôlego. Ou seja, as atividades e passeios serão em sua maioria ao ar livre. Aliás, os apaixonados por trilha dificilmente se decepcionam com uma viagem nessa região.

Porém, como tudo tem um preço, é importante lembra-lo de que este é um dos destinos mais caros da América do Sul. No entanto, a média de preços de hospedagem e alimentação pode assustar os viajantes mais econômicos.

Além disso, outro item que pesa no orçamento são os passeios. Porém, não tem como ir pra Patagônia argentina e deixar de conhecer alguns dos lugares mais lindos do nosso continente e de forma alguma eu recomendo que alguém explore os hikes e as geleiras sozinho.

Portanto, o melhor a fazer é se planejar muito bem antes da viagem e reservar todos os seus passeios com antecedência, principalmente os mais concorridos como o hike no gelo, o tour gastronômico nas geleiras e o lindo passeio de kayak. Obviamente você não precisa fazer todos os tours e visitar todos os lugares de cada cidade. Contudo, ainda assim, é muito importante que você esteja organizado antes de ir.

Também espere gastar longas horas na estrada. Principalmente se sua ideia é viajar apenas por terra. Dependendo do seu roteiro, alguns deslocamentos podem levar mais de dez horas dirigindo sozinho. Se quiser economizar tempo e apreciar a paisagem de cima recomendo helicóptero ou avião.

Juju Coelho na Patagônia Argentina. Parque Nacional Los Glaciers em El Chatén.

2- Quando ir

alta temporada na Patagônia vai de novembro até a primeira quinzena de março, sendo janeiro e fevereiro os meses mais concorridos. Neste período o número de turistas aumenta, os preços sobem, os dias ficam mais longos e a temperatura menos congelante – ideais para as atividades ao ar livre, que é a grande atração da Patagônia.

Já durante o inverno o cenário se inverte, inclusive, as paisagens mudam de roupa. A neve começa a encobrir as montanhas, o que as deixa ainda mais deslumbrantes e geladas. 

No final de abril, maio, junho e julho parte dos passeios podem ser comprometidos pelo mal tempo. Para quem faz questão de percorrer as famosas trilhas de El Chaltén, recomendo que vá durante o verão.

O tempo frio continua em agosto e imprevistos podem acontecer, mas a viagem já começa a ser mais viável. O vento durante os passeios também pode ser um problema, por isso agente-se ao período quando organizar a sua viagem.

Com a chegada da primavera, em setembro e outubro as nevascas começam a dar uma trégua e aos poucos a temperatura volta a ficar mais agradável. A segunda quinzena de outubro pode ser uma época atraente para quem quer fugir das multidões, dos preços altos, e, ainda assim, correr menos risco com o tempo ruim.

Por fim, vale lembrar de que o clima na Patagônia pode surpreender a qualquer momento. Embora as previsões e o histórico dos anos anteriores sirvam para nos nortear, não é garantia de que as mesmas condições climáticas se repetirão.

Patagônia chilena
Perito Moreno - Patagônia Argentina
Patagônia Argentina - Parque Tierra del Fuego

3- Principais cidades na Patagônia Argentina

Embora não estejam localizados no extremo sul, Puerto Madryn, Península Valdés e Trelew são considerados destinos que fazem parte da Patagônia Atlântica – uma região bastante diferente das cidades que estão mais ao sul. Essa é uma zona muito interessante para quem gosta de observar animais marinhos no seu habitat natural.

No entanto, para incluir estes lugares da Patagônia argentina em um mesmo roteiro com destinos mais procurados – como Ushuaia, El Calafate e El Chaltén – é necessário pensar com bastante atenção na logística, além de ter mais tempo livre. 

Aliás, na minha opinião, é mais prático combinar as cidades da Patagônia Atlântica em uma viagem pela região dos lagos (Bariloche, San Martín de los Andes e Villa la Angostura), do que com os outros.

Rumo à região mais austral do nosso continente, você encontrará alguns dos destinos clássicos da Patagônia argentina: Ushuaia, El Calafate e El Chaltén.

A primeira é conhecida por muitos como a “La Ciudad del fin del Mundo”, a segunda é a porta de entrada para conhecer o Glaciar Perito Moreno, e a última é a queridinha dos trilheiros de plantão.

Lembrando ainda que não muito longe de El Calafate está o Parque Nacional Torres del Paine, uma das maravilhas do território chileno.Parque Nacional Torres del Paine

4- Roteiro clássico pela Patagônia argentina + Torres del Paine (Chile)

Dezesseis dias. Este é o tempo mínimo que eu recomendo para fazer uma viagem pela Patagônia argentina, e ainda conhecer um dos parques nacionais mais belos do Chile. 

Isso porque, nesse período é possível visitar Ushuaia, Torres del Paine, El Calafate e El Chaltén, sem muita afobação. Com catorze dias ainda é possível visitar todos esses lugares, mas sua trip pode ser bastante cansativa. Menos que isso eu optaria em deixar alguma cidade de fora do roteiro.

Se acaso você quiser conhecer o parque chileno por trilha, deverá acrescentar alguns dias na viagem, que pode variar dependendo de qual circuito você escolher.

O primeiro dia será todo dedicado para chegar até Ushuaia. Depois dessa longa jornada os três dias seguintes serão para explorar suas principais atrações turísticas e passeios. 

O próximo destino será Puerto Natales, no Chile – a cidade base para visitar Torres del Paine. Este deslocamento deve custar um dia inteiro das suas férias. O dia seguinte será para descansar ou se já estiver organizado fazer o seu passeio até o parque, que levará mais um dia completo da sua trip.

O próximo trecho a percorrer é até El Calafate, onde você estará de volta à Patagônia argentina. Saindo cedo de Puerto Natales você deve chegar a Calafate depois do almoço. Aproveite o fim do dia para caminhar pela agradável Avenida San Martín, ou fazer o seu passeio ao Parque Nacional los Glaciares, onde encontrará o grandioso Glaciar Perito Moreno.

Por fim, finalize seu roteiro em El Chaltén, que está a aproximadamente quatro horas de El Calafate. Além do dia de chegada e partida, reserve mais dois dias inteiros para se encantar com algumas das paisagens mais lindas da Patagônia argentina.Glaciar Perito Moreno

5- Como se locomover

Há várias maneiras de se locomover mas eu recomendo que aluguem um carro as estradas são boas e super seguras. Se estiver com pouco tempo ou se locomovam de helicóptero ou avião.

Leia também: Roteiro de carro pela Patagônia argentina e chilena (no blog Apure Guria)

6- Câmbio

Antes de chegar a Patagônia argentina você certamente fará uma conexão em Buenos Aires. Aproveite esse tempo para trocar seu dinheiro (dólares ou reais) para pesos argentinos, mesmo que seja no Banco de la Nación dos aeroportos. Aliás, atualmente a cotação deste banco é uma das melhores que você encontrará na Argentina.

Não leve reais para a Patagônia, a cotação é péssima. Caso sua conexão seja curta e você não tenha tempo de trocar dinheiro, leve dólares para a Patagônia.

Depender 100% de um cartão de crédito é algo que eu não recomendo durante uma viagem pela Argentina. Esta forma de pagamento não é tão comum quanto no Brasil. Leve como garantia, mas antes de consumir algo procure saber se o estabelecimento realmente aceita.

» Passeios

Há uma infinidade de passeios para fazer na Patagônia argentina. E, para você ter uma ideia dos valores, recomendo que você consulte o site da Get Your Guide.

A boa notícia é que Em El Chaltén você não precisa gastar para fazer as trilhas do pequeno vilarejo. Você pode ir por conta própria, sem a necessidade de guias ou agências. Certifique-se apenas de levar um mapa da região e fique atento a sinalização das trilhas. E claro, água, protetor solar e lanchinhos não fazem mal a ninguém.

Não contratar um bom seguro para sua viagem à Patagônia é um erro do qual você não gostará de se arrepender. Então antes de ir certifique-se de estar segurado e as suas coberturas.

Clique aqui e faça uma cotação online que compara os planos com melhor custo-benefício do mercado.

Não se esqueça que aqui no Jujucoelho.com também organizamos a sua viagem e cuidamos de todas as suas reservas e ainda te enviamos um guia personalizado. Então não deixe de nos contatar para receber as melhores indicações de hotéis, restaurantes, passeios e serviços de luxo.

Leave a Reply